Segunda-feira, 8 de Setembro de 2008

Esse meu cantar


Vem de lá de muito longe
Esse meu cantar


Vem lá das ruas desertas
Dos bares noturnos
Dos beiços babados
Dos olhos soturnos


Do jeito cansado do corpo marcado
De quem já apanhou de aroeira
Eu sou filho mais moço
Do pai que de morto
Me deixou a rua
Pra eu ver o desgosto
Do povo que vive na poeira


Quieto que a ordem é calado
E vamos ir em frente
Que a cavalo dado
Não se olha o dente


Resta finalmente
Um tempo pra cantar
Um samba rasgado
Um samba dolente

E nos feriados não vai trabalhar


Vem de lá de muito longe
Esse meu cantar...
publicado por Claudia Leal às 10:34
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.posts recentes

. Rancho das Flores

. Quando Te Vi (Till There ...

. Asas para voar

. Esperança

. Planeta Água

. Para as minhas filhas, Da...

. Só de Passagem

. De coração pra coração

. Minha Rua

. Quando é Amor

.arquivos

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

.tags

. todas as tags

.favorito

. As sem-razões do amor

blogs SAPO

.subscrever feeds